Retomada das obras da UFN 3 é um dos destaques do Plano Estratégico 2024-2028 da Petrobras

Após anos de incerteza e paralisação, as obras da UFN 3 (Unidade de Fertilizantes Nitrogenados) em Três Lagoas, Mato Grosso do Sul, finalmente retomam o curso, destacando-se como um dos principais pontos de investimento no novo Plano Estratégico 2024-2028 da Petrobras. O anúncio foi feito após a aprovação do plano pela administração da empresa na última quinta-feira (23/11).

O plano estratégico, denominado PE 2024-28+, delineia um investimento substancial de US$ 102 bilhões nos próximos cinco anos, marcando um crescimento notável de 31% em comparação ao ciclo anterior. Este é o primeiro plano sob a gestão atual e está fundamentado na preparação da Petrobras para o futuro, concentrado na integração de fontes energéticas, crucial para uma transição energética justa e responsável.

“O aumento dos investimentos da Petrobras vem com responsabilidade, mantendo disciplina de capital e garantindo controle do endividamento. Estamos intensificando os investimentos em energia de baixo carbono, visando gerar valor a longo prazo”, ressaltou o presidente da Petrobras, Jean Paul Prates.

A retomada das obras da UFN 3, que fazem parte dos investimentos programados, sinaliza não apenas um marco importante para a Petrobras, mas também um impulso significativo para a economia local e nacional. A UFN 3 está prevista para contribuir substancialmente para a produção nacional de fertilizantes, fortalecendo a indústria e reduzindo a dependência de importações nesse setor estratégico.

Além da retomada da UFN 3, o plano também delineia investimentos significativos em outros setores. No segmento de Exploração e Produção (E&P), estão destinados US$ 73 bilhões, com a maior parte voltada para o pré-sal, reconhecido por seu diferencial econômico e ambiental. A empresa mantém o foco em ativos rentáveis e busca investimentos compatíveis com uma visão de longo prazo alinhada à transição energética.

Jean Paul Prates explicou: “Ainda serão necessários investimentos em exploração e produção para atender à demanda de energia, buscando menor pegada de carbono possível”. Esses investimentos também incluem a perfuração de aproximadamente 50 poços em áreas onde a Petrobras detém direitos de exploração em blocos adquiridos.

No segmento de Refino, Transporte e Comercialização (RTC), estão programados investimentos de US$ 17 bilhões, com a ampliação da capacidade de processamento nas refinarias e um foco maior na produção de diesel de baixo carbono, visando atender às demandas do mercado atual.

A retomada das obras da UFN 3 em Três Lagoas representa não apenas um avanço para a Petrobras, mas também um impulso para o setor de fertilizantes no Brasil, alinhando-se com os objetivos de crescimento e desenvolvimento econômico sustentável. Este movimento ressalta o compromisso da empresa em fortalecer sua presença em setores-chave da economia nacional, ao mesmo tempo em que avança em direção a uma matriz energética mais diversificada e sustentável.