Confronto com a Polícia Militar resulta na morte de suspeito em Três Lagoas

No desenrolar dos acontecimentos na madrugada deste sábado (25), um confronto entre a Força Tática da Polícia Militar e Matheus Alves da Silva, de 46 anos, culminou na morte do suspeito. O embate ocorreu no bairro Santa Rita, situado na rua Coronel João Filgueiras, cruzamento com a rua Euclides da Cunha, em Três Lagoas.

Matheus já havia sido detido na mesma semana por ameaçar funcionários de um posto de saúde no bairro Santa Rita, utilizando um simulacro de pistola. Após sua passagem pela delegacia, o indivíduo utilizou as redes sociais para proferir ameaças contra os militares do Getam (Grupo Especial Tático de Motos) – responsável por sua prisão – e também ameaçou os militares da Força Tática, referindo-se a uma suposta filiação a uma facção criminosa sediada na capital federal, Brasília.

Segundo informações obtidas, durante rondas ostensivas e preventivas nas proximidades da residência de Matheus, ele teria confrontado os militares, exibindo um revólver calibre 22 e proferindo ameaças de morte. Ao ingressarem no quintal da residência com o intuito de detê-lo, o suspeito se recusou a se render e, ao perceber o cerco, começou a disparar em direção à varanda onde os policiais estavam posicionados.

O confronto resultou em uma troca de tiros, atingindo Matheus, que foi posteriormente desarmado e socorrido ao hospital Auxiliadora. Contudo, o indivíduo deu entrada na instituição já sem sinais vitais, e seu óbito foi confirmado.

A Polícia Civil e a Polícia Científica foram acionadas para investigar o incidente, com a arma utilizada pelo suspeito – um revólver calibre 22 – sendo entregue para análise pericial. O revólver continha 6 munições, sendo que 4 foram deflagradas e 2 permaneceram intactas.

Além disso, nas redes sociais de Matheus, foram identificadas postagens contendo ameaças, xingamentos e alegações caluniosas contra funcionários de saúde, instituições financeiras e familiares do suspeito. Funcionários do posto de saúde do bairro Santa Rita conviviam com o temor gerado pelas ameaças do suspeito, que em diferentes ocasiões havia proferido ameaças de violência.

O desenrolar dos fatos permanece sob investigação pela delegacia da área, podendo sofrer alterações caso surjam novos desdobramentos no caso. O corpo de Matheus será encaminhado ao IMOL (Instituto de Medicina e Odontologia Legal) para procedimentos legais.

É importante ressaltar que a narrativa dos eventos se baseia nos relatos policiais e em informações disponíveis até o momento, estando sujeita a possíveis atualizações à medida que a investigação avance.