Marcos de Jesus Barbosa, conhecido como ‘Galo Cego’ é morto a tiros em Três Lagoas

Na noite da última segunda-feira (27), Três Lagoas foi palco de um homicídio violento no bairro Jardim Oiti. Marcos de Jesus Barbosa, conhecido como “Galo Cego”, de 25 anos, foi assassinado a tiros dentro de uma conveniência local. O crime ocorreu por volta das 22h, quando dois atiradores a bordo de duas motocicletas Honda Biz, trajando roupas escuras e capacetes, invadiram o estabelecimento.

De acordo com relatos de testemunhas, os criminosos, que estavam na garupa das motocicletas, se dirigiram diretamente ao balcão onde “Galo Cego” estava e dispararam pelo menos oito vezes, atingindo-o em várias partes do corpo. Após o ataque, os assassinos fugiram pela Avenida Antônio Estevan Leal em direção à Avenida Eloy Chaves, deixando a vítima fatalmente ferida.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado, porém, ao chegarem ao local, os socorristas constataram que Marcos de Jesus Barbosa já havia falecido. A Polícia Militar, a Rádio Patrulha, o Grupo Especial Tático de Motos (Getam) e a Polícia Civil compareceram à cena do crime para iniciar os procedimentos legais. O corpo foi posteriormente encaminhado ao Instituto de Medicina e Odontologia Legal (Imol) para realização de exames de necropsia.

O histórico de “Galo Cego” revela um passado envolvido com a criminalidade, acumulando cerca de 20 passagens pela polícia, tanto na fase de menor infrator quanto como adulto. As autoridades policiais afirmam que Marcos de Jesus Barbosa era um nome conhecido no cenário criminal da região, com registros por homicídio, tráfico de drogas, disparo de arma de fogo, furto, receptação, desacato, desobediência, dano e violência doméstica.

A polícia civil está encarregada de investigar detalhadamente o caso, buscando esclarecer as circunstâncias do homicídio e identificar os responsáveis pelo ataque que tirou a vida de “Galo Cego”.

Em menos de 72 horas Três Lagoas registra mais um homícidio, este é um acontecimento que reforça a preocupação das autoridades e da sociedade com a escalada da violência na região.